sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Complementando o post anterior, a Natura fez um material da linha Mamãe e Bebê há cerca de 1 ano ou mais em que recomendava que grávidas deveriam se manter longe de gatos, inclusive desfazendo-se dos seus.

Em vista disso, eu parei de comprar produtos da empresa. Na minha casa não entra absolutamente mais NADA da Natura. Afinal, ela é toda "abraço árvores" mas, além de falar baboseiras sobre gatos, ainda faz testes em animais.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Gatos e a gravidez

Uma das coisas que muito me estressava era pensar no tópico "Gatos e a Gravidez". Quando você pesquisa sobre o assunto, encontra as informações mais disparatadas. Eu já ficava espumando de raiva de ver como alguns médicos são absolutamente radicais de culpar os gatos, única e exclusivamente eles, pelos casos de contágio. Numa consulta que fiz na internet achei uma entrevista do Dráuzio Varella com um infectologista. O moço foi capaz de falar que só de alguém colocar a mão onde um gato ficou e depois levar à boca, já é perigosíssimo. Os laboratórios também dão sua contribuição, pois nos exames, sempre que vem a sorologia negativa, lá vem a recomendação: fique longe de gatos.

Meu médico é um pouco radical quando fala sobre a forma de contágio, mas eu até me surpreendi por ter conseguido levar a coisa com ele sem grandes dramas. Quando ele me falou que era pra evitar contato com gatos eu respondi rindo "claro, vou evitar contato com meus OITO gatos". Mas pelo menos ele nunca me recomendou a besteira de me desfazer de meus bichanos, como muitos médicos ignorantes fazem, infelizmente. Disse que se tenho os meus há anos, não havia problema.

Quando você vai conversar com veterinários, vê que a história da contaminação não é bem assim, tão simples. Eu conversei com muitos, muitos mesmo. Falei até com especialistas em gatos. O ciclo de contaminação é muito mais complicado, o gato precisa ser infectado, o que ocorre pela alimentação (leia-se: comer carne crua contaminada - Whiskas Sachet não dá toxo, tá?); daí então ele precisa colocar as fezes e as fofas devem ficar no ambiente de 24 a 72 horas. Ah, e você tem que ser porcão de deixar o cocô lá todo esse tempo e, além disso, nesse período ir lá na caixa, colocar a mão no cocô e lamber. Agora me diga, quem em sã consciência faz isso???

Eu convivo com gatos há 15 anos, todos tirados das ruas. Todos comem ração industrializada e não saem na rua, o que já reduz o risco de contágio a praticamente zero. A caixa de areia é limpa com uma pá, sem contato com a mão. Depois da limpeza eu não chupo o dedo, eu lavo as mãos!! Praticamente ao engravidar adotei minha linda Zazá, direto da rua e esperando 5 bebês - talvez a coisa mais arriscada que fiz nesse período. Meus exames estão negativos até hoje.

Além disso, a toxoplasmose pode ser contraída em verduras mal lavadas e carnes contaminadas e com essas sim, devemos ser xiitas. Eu sou fundamentalista, uma extremista nesse aspecto, nem limão em rodela eu peço mais nas minhas bebidas quando como fora porque, se eu ficar doente, tenho certeza vão falar que é por causa dos gatos, quando eu vou saber que vai ser por alimento mal preparado. Parei até de comer salada fora. Coisas não cozidas só como em casa, e quando EU preparo.

Falando nisso, o tal médico do início do post fala sobre o perigo encostar a mão onde estava o gato. Mas nem ele nem nenhuma outra fonte que eu consultei fala qualquer coisa sobre uma mulher grávida manusear carne crua. E então bonitão? Deveria ser tão perigoso um quanto o outro, certo?

Coerência e conhecimento vão bem né? Por isso, digo de coração (e experiência própria) que gravidez e gatos convivem muito bem, obrigada!

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Panic!!

Por mais que a gente pesquise livros e sites ou assista programas de TV uma coisa não tem jeito, absolutamente: a gente só entende realmente cada etapa da gravidez passando por ela. Seja quando senti pela primeira vez as tais contrações de Braxton Hicks, das quais tinha ouvido falar pela primeira vez num episódio de Friends, ou seja na hora de começar a arrumar as coisas porque, definitivamente, o bebê vem aí!

Junto com tudo isso vêm os episódios de pânico. Eu já tive uns 4. São momentos em que você se depara com algum fato e simplesmente paralisa, não consegue mais pensar, raciocinar, só tem vontade de chorar e ficar dando voltas feito o urso de um desenho do Pica-Pau. O primeiro mais forte foi quando caiu a ficha de que a casa estaria longe, muito longe de estar pronta até o Tato nascer. Até então eu não me preocupava muito com detalhes de decoração do quarto do apartamento pois imaginava que, àquela altura, estaria definindo a decoração do quarto dele na casa. Com o ataque, tudo o que se passava pela minha cabeça era que meu filho dormiria no carrinho, suas roupinhas ficariam em malas e eu era definitivamente a mãe mais desleixada do Universo. Foi preciso minha irmã falar que era só montar o quarto provisório dele no apartamento e que os móveis seriam os mesmos que eu levaria depois pra casa pra eu finalmente dizer "aaah.... é mesmo!". Mas não sem antes ter outro mini ataque e falar - aos prantos - com o Du, achando que ele não concordaria, e dizer que eu queria um quarto provisório mas bonitinho, com cortinas! Claro que com cortinas! Imagina se o Du não concordaria?

Depois disso o outro ataque de pânico, esse num grau um pouco mais leve, foi ao pensar na data do Chá de Fraldas. Até lá eu estarei de 36 semanas, o que significa que na semana seguinte ele já será considerado pela OMS um bebê plenamente apto a vir ao mundo. Pára tudo!! E se ele nasce antes?? Não, eu quero um Chá perfeitinho, com tudo pensado, bonitinho, dentro dos padrões das mais respeitadas socialites que saem no Glamurama! Cheguei a perguntar até pra médica que faz meus ultrassons sobre a data escolhida e ela disse que tudo bem, minha gravidez é tranquila, está tudo indo conforme o esperado. E o mais esperado é que ele fique bem confortável aqui dentro, se desenvolvendo bonitinho pra sair só quando for o dia certo, o que significa que isso deve acontecer DEPOIS das 37 semanas.

Mais um ataque leve, dessa vez por causa de uma vendedora da Vanessa Guimarães que achou que noooooooooooooooooossa, mas você está vendo os móveis só agoraaaaaaaaaaaaa? Pronto, fodeu, lá vem de novo a certeza de que eu sou a mãe mais desleixada do mundo, que "esquece" de montar o quarto dele. Dessa vez eu tive a sorte de ter ao meu lado uma grande amiga que me acalmou na hora e mais a vendedora de outra loja que disseram que não era nada disso. Verdade mesmo, absurdo é o preço que essa loja cobra e o prazo que pedem pra entrega! Os maiores que vi até agora. No final das contas, a dona de uma outra loja me disse nesta semana que eu estou bem organizada, pois geralmente as mães fazem suas encomendas mais tarde.

O último ataque foi hoje. Estava até então calmamente pensando nos meus preparativos, visitando lojas e me programando pras compras que ainda faltam quando recebo meus boletins informativos com tudo o que está acontecendo nesta 29ª semana de gestação. Um deles foi o culpado.

O primeiro susto do maledeto boletim veio com a seguinte informação: "AGORA FALTAM SÓ 11 SEMANAS!". Preciso esclarecer que o susto foi substancialmente pontencializado por causa de algo ocorrido minutos antes, quando, ao organizar a papelada do escritório, me deparei com uma carta do meu médico me autorizando a viajar para o Chile quando estava na 18ª semana, ou seja, 11 SEMANAS ATRÁS!!! MEU DEUS!!! ISSO PASSA MUITO RÁPIDO!!

O segundo susto formador do 4º ataque foi uma singela frase, que mais parecia uma bronca dada pela madre superiora do colégio interno: "...a mala da maternidade, que, a esta altura, já deveria estar pronta." Pude até ouvir a entonação de desaprovação e condenação, a ênfase no DEVERIA, e juro que também escutei um "sua desleixada , negligente" no final. Pronto, mais um ataque formado. Só que dessa vez sem ninguém por perto pra me acalmar, umas lagriminhas até começaram a escorrer. Nem ninguém pelo MSN. A calma veio umas horas depois, ao falar com outra amiga e ela me confessar que a mala dela só ficou pronta uma semana antes. E eu nunca a considerei ou vou considerar negligente ou desleixada! Isso acontece com todo mundo!

E olha, é tanta coisa que a gente tem que ver... agora tenho que escolher onde vou fazer o tal curso para gestantes. Não bastasse ter que fazer, a gente tem que pagar e escolher entre diferentes opções! É curso intensivo, semiintensivo, rápido...

Vamos em frente, dando umas voltinhas de um lado pro outro de vez em quando!