quarta-feira, 20 de maio de 2009

Tato e sua primeira aula!

Semana passada, ainda com resquícios da trabalheira com o Tato, resolvi que era hora de começar alguma coisa diferente com ele para darmos uma sacudida na rotina. Achei que meu cansaço estava fazendo com que eu o deixasse sem muito estímulo e eu fiquei com medo de estar abusando demais da combinação sofá + Tato no colo + Discovery Kids na TV.

Resolvi então agendar uma aula pra ele na Steps Baby Lounge, que fica extamente em frente ao prédio onde morei por alguns anos. Acessei o site, liguei e marquei uma aula de movimento pra ele, no estágio RN. E lá fomos nós.

O moleque adorou! Já começou se dando todo pra mulherada que trabalha lá e veio brincar com ele. Riu, foi no colo, todo simpático. Na hora da aula ele não sabia pra onde olhar, queria ver tudo, colocar todos os brinquedos na boca! Aguentou fazer a aula toda, a tia Helô, sua professora, disse que ele está super bem e o promoveu ao Step 1. Vai fazer aulas agora às quartas-feiras.

Que mocinho, meu menino já tem compromisso semanal!!

terça-feira, 19 de maio de 2009

O quê que tem na sopa do neném?

Faz uma semana o Tato começou a almoçar. Ele já estava tomando suco e comendo papinha de frutas à tarde. Achei que na mamada do meio dia ele vinha ficando um tanto decepcionado com o cardápio, mamava meio relutante e rápido demais. Decidi que era hora do menino começar com o almoço!

Aí então foi hora de pirar na sopinha e inventar cardápios. Inhame com tomate, cenoura, músculo e espinafre; batata com cenoura, abobrinha, escarola e frango. Mandioquinha com espinafre, chuchu, frango e tomate.

O baixinho abriu o bocão desde a primeira refeição, não recusou uma colherada sequer! Aliás, come até demais! O quanto der de papa, o quanto ele vai mandar pra dentro. Hoje mesmo eu parei de dar mais comida de medo que fiquei dele passar mal depois. O prato estava cheinho e quando vi que faltavam poucas colheradas pra acabar e ele não dava sinais de que pararia por conta própria, encerrei o almoço.

Acho que ele tem ficado com muita fome na hora de almoçar porque o lanche da manhã é apenas suco. Amanhã vou tentar uma tática nova, vou dar a papinha de frutas no meio da manhã, pra fazer com que o almoço fique mais balanceado.

Ah, mas essa aventura nova me deu uma boa dose de trabalho. Nas primeiras refeições, apesar de comer tudo, ele reclamava até. Eu ficava desesperada, não sabia se ele estava odiando, se estava gostando, se continuava com fome, se eu devia parar... e pra ajudar, era só comigo. Minha irmã/madrinha dele ficou com ele no sábado para podermos sair e resolver coisas da reforma da casa, e não é que ele se comportou como um anjo com ela? No dia seguinte, no almoço na casa da minha mãe, deu trabalho comigo de novo. Foram dias em que me senti bem no limite, no máximo de stress com uma boa dose de depressão.

Agora parece que as coisas estão se ajeitando. Ele não tem reclamado mais no almoço. Mas ainda assim eu preciso me ajustar à combinação de alimentos, prestar atenção em como está o cocô dele e balancear o almoço com as frutas e, lógico, fico desesperada quando acho que alguma coisa não está indo bem com o intestino dele. E assim vamos, dia após dia!

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Chico Anysio

Acabei de ficar muito triste e preocupada com a notícia de que Chico Anysio não está muito bem de saúde. Sério. Meus leitores fantasmas podem estar se perguntando hã? Daonde que você curte tanto assim o homem?

Realmente nunca fui grande fã. Cresci assistindo seus quadros como a maioria das pessoas da minha idade. Painho, Tim Tones, Bento Carneiro, Escolinha... eu imitava aquela mulher feia que falava "Nazareno!" e seu marido bêbado respondia "Caaaaaaaaaaalada!". Meu pai dizia que eu seria comediante... talvez devesse ter seguido por esse caminho. Enfim, coisas. Mas nunca me aprofundei na admiração por Chico Anysio.

Faz mais ou menos uns 3 meses, eu conversei com o Du sobre os programas que a gente assistia quando crianças. Falamos de Chico Anysio e eu comentei que gostava do Baiano e os Novos Caetanos. Comentamos sobre o fato de que não tínhamos a variedade de hoje com tv a cabo, e que portanto todo mundo assistia as mesmas coisas. Na mesma semana minha irmã fez um almoço pra comemorar o resultado de um teste da Carol. Foi no restaurante do flat onde elas moram.

Quando estávamos no saguão esperando trazerem o carro, o Du olhou pela porta e disse "ah, o Chico Anysio!". Todo mundo ficou olhando esperando ele entrar. Entrou, viu a gente encarando e disse "boa tarde!". Foi perguntar na recepção se o restaurante estava aberto e, pra nosso espanto, veio bater papo conosco! Eu estava com o Tato no colo, ele acariciou a cabeça dele e perguntou seu nome. Quando falei Otávio, o Chico Anysio disse que era nome de gente grande! Contou de seus 9 filhos, criados no meio artístico e sem ficarem abilolados. FAlou da delícia de ter filhos. Se despediu e foi almoçar.

Fiquei com um carinho imenso por ele, já velhinho, com aqueles olhinhos azulados típicos de quem já está com bons anos cumpridos. por isso que, ao ler a notícia hoje, fiquei triste e preocupada. Espeero que fique bem, apesar de seu problema não ser simples e de eu já ter perdido um tio para essa doença.